Em Porto Feliz (SP) para conhecer o sistema de Saúde local, Dra. Raissa Soares se recupera de síndrome gripal

Em Porto Feliz (SP), desde a última quarta-feira, 02/12,  para visitar a cidade e conhecer de perto  o sistema de saúde do município, a Dra. Raíssa Soares publica vídeo sobre o que viu por lá e esclarece sobre o seu quadro de Síndrome Gripal, que começou na sexta-feira, 04,  com sintomas leves, o que fez com que não embarcasse de volta para Porto Seguro.

Ela está utilizando todo o protocolo do município de Porto Feliz e se encontra bem.

Veja o vídeo:


*A experiência de sucesso de Porto Feliz com o protocolo precoce

A cidade de Porto Feliz SP) vem se mostrando um exemplo no combate ao coronavírus. Com população estimada em quase 52 mil habitantes, desde o início da pandemia a prefeitura, que é administrada pelo médico Dr. Cássio Habice Prado (PTB), implantou um novo posicionamento frente à doença. A ação foi baseada nos protocolos aplicados em países da Europa e começou a ser aplicada nas chamadas Unidades Sentinelas, que são unidades de saúde que estão sendo utilizadas, especificamente, para receber e avaliar pacientes com sintomas da doença.

“Em março, fizemos um protocolo, reunindo os médicos da minha equipe e esse protocolo se baseou no protocolo de Madri, de Bérgamo e de Marselha. Desde o final de março, quando tivemos o primeiro caso, temos feito o tratamento precoce de todos os pacientes com sintomas leves de Covid-19, com diagnóstico clínico e tomográfico”, disse o prefeito em uma transmissão ao vivo.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

A indicação é para que qualquer cidadão que tenha febre, tosse, mialgia (dores musculares) ou perda de olfato, procure imediatamente uma Unidade Sentinela para ser avaliado pelas equipes médicas e não esperar a falta de ar.

A partir da recepção desse paciente, além do exame habitual realizado, a Prefeitura realiza uma tomografia. Segundo a assessoria, já foram realizadas mais de mil tomografias com recursos próprios. O objetivo da tomografia é avaliar a condição do pulmão do paciente, já que, o exame de sangue que comprova a doença demora uma semana para ficar pronto.

A partir da tomografia, constatando a condição do paciente, são realizados exames como: função renal e hepática, eletrólitos, hemograma, d-dimero, ferritina, gasometria arterial, DHL, lactato, Proteína c-reativa, tomografia computadorizada de tórax e eletrocardiograma laudado por cardiologista e a autorização formal de cada paciente.

O paciente é avaliado através da consulta médica, na qual é realizado exame físico, história clínica, exames laboratoriais, eletrocardiografia e tomografia. Só então é decidido pelo médico assistente se há ou não indicação com segurança do uso das medicações que compõem o Protocolo de Tratamento Precoce (PTP).

MEDICAMENTOS ADMINISTRADOS

O PTP inclui medicamentos como hidroxicloroquina, azitromicina, enoxaparina, remédio para enjoo e anti-inflamatório. “Todos as pessoas que entraram no PTP são acompanhadas diariamente por equipe médica e de enfermagem, além de receberem telemonitoramento pela equipe sentinela e da vigilância epidemiológica. Todos fazem o eletrocardiograma antes e realizam novamente, a critério médico, diz a prefeitura.

Formado pela Universidade de São Paulo (USP), pós-graduado em Medicina Intensiva e especialista em UTI, o prefeito de Porto Feliz disse que, apesar das críticas iniciais, nenhum dos pacientes tratados com a cloroquina precocemente evoluiu a tubo, respirador, UTI ou óbito.

“Os óbitos que tivemos (até o dia 17 de julho) na cidade são de pacientes que não fizeram o tratamento precoce. Mesmo que os pacientes evoluam para a fase dois, fica mais fácil o tratamento”, relatou Prado.

OUTRAS MEDIDAS ADOTADAS

Tenda para atendimento – Foram montadas tendas na área externa dos Postos de Saúde para que os pacientes não fiquem dentro da unidade e aguardem o atendimento do lado de fora.

Alojamento – Foi disponibilizado alojamento para os profissionais da Saúde que atuam na Santa Casa e nas Unidades de Saúde do município, trabalhando na linha de frente no combate ao Coronavírus (Covid-19). Desta maneira, os médicos, enfermeiros e auxiliares que não quiserem retornar para casa, poderão utilizar o espaço minimizando assim as chances de contaminação dos seus familiares.

Desinfecção de áreas – Desde 22 de março, a Prefeitura iniciou o trabalho de limpeza e desinfecção de espaços públicos.


*Alessandra Quaresma Ascom Dra. Raissa Soares

Postar um comentário

0 Comentários